28 de jul de 2010

Adversativa


Nane Martins


Convém imaginar que eu sou outra
Convém sentir-me extremada
Convém comportar-me exagerada.
Convém mostrar-me descomedida
Desregrada, desenfreada, excessiva.

Cabe tornar meu momento eterno
Cabe tornar meu  instante imortal,
Cabe sublimar o que sou nessa ocasião
Cabe sim, ser transformada

Apresento-me incasta e não temo o mundo
Sendo assim EU PROMETO

Prometo a efervescência
Prometo a transformação
Prometo o oposto, o adversativo
O contrário, o desfavorável, o impróprio
Prometo cumprir.

Sendo assim convém:
Convém estranhar-me a qualquer momento
Convém mastigar a minha alma
Convém celebrar o que sou e sinto
Convém acreditar que sou OUTRA




Ao som de Michael Jackson ( Ben)

Foto: You_Don__t_Know_My_Secrets_by_ediquish



3 comentários:

A.S. disse...

Serás OUTRA...
a efervescência,
a transformação,
o oposto,
o desfavorável,
o impróprio!
Sim... convém acreditar!
Mas nunca esqueças que o mar é sempre o azul que nos chama do fundo de sorrisos e praias e ondas!
Assim... talvez a noite não te denuncie por uns lábios que ainda recordas...


Nane, o teu poema é lindooooo!!!

BeijOOO
AL

Cris de Souza disse...

Advers(a)tiva!
Esse contraste cai bem...

Beijos.

(Agradeço sua visita sonora)

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Sim vamos.
O sol abriu.
E eu te prometi o céu.
Vim te entregar.

Que linda ver-te assim

Beijo meu

Related Posts with Thumbnails