1 de nov de 2007

INTENTO

Priscila Priska

Despede-te de temores
E inaugura sonoro
Tua voz de cadência
Compassiva e clara
Para que teu corpo
desabe sobre mim
Melodioso,
inundado de fúria,
torpor
e mil abstrações

Alegra-te de mim
entre descobertas
e permanências
Possuídos,
possessivos,
inflamados
Porque em nós
habita o divino
a força que renova o poder
Consome a própria chama

E pousarei lentamente
em teu corpo de girassol
Resplandecendo iluminada
de amarelo e ouro
Contente de mim mesma
posso me ver agora
Invisível larva
Amorosa
Passiva
Lascíva e fatal.

Foto: de Nuno Belo

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails