19 de out de 2008

Tempo de solidão

Ademir Antonio Bacca

Tempo
que não passa
novelo
que não se desembaraça
vela
que queima devagar
que não desata
lembrança
que não se perde na fumaça.
noite
que se arrasta.

Foto: ...é Agora de Susana Ferreira

Um comentário:

Menino Poeta disse...

quantas vezes nos encontramos dessa forma... quantas vezes o nosso tempo estar assim. sombrio sem a luz do sol, sem a luz do luar, apenas com a dor da solidão, com a noite sombria da dor. suas palavras são inspiradoras.

Related Posts with Thumbnails