31 de mar de 2011

Segue o teu destino



Ricardo Reis

Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.

A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nós queremos.
Só nós somos sempre
Iguais a nós-próprios.

Suave é viver só.
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente.
Deixa a dor nas aras
Como ex-voto aos deuses.

Vê de longe a vida.
Nunca a interrogues.
Ela nada pode
Dizer-te. A resposta
Está além dos deuses.

Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração.
Os deuses são deuses
Porque não se pensam.



Foto: (não sei quem é o auto)

Do livro do Nada


Manoel de Barros

Sou mais a palavra ao ponto de entulho.

Amo arrastar algumas no caco de vidro,
envergá-las pro chão, corrompê-las, -
até que padeçam de mim e me sujem de branco




Foto: Desconheço o autor (se alguém souber)

1 de mar de 2011


Eu continuo aqui
Rindo de mim
Me vendo como nem sei se sou
Me sentindo efêmera
Mas de rara contundência.
Pretensão descontida de encarar o tudo
Nem imagine que vou me conter,
Me prevenir do que possa ser intenso e bom
quero mesmo é a efervescência da vida.
Não olho de canto, de soslaio
pra aquilo que posso encarar de Frente.
Related Posts with Thumbnails