25 de abr de 2010

Luís Vaz de Camões

"...Que dias há que na alma me tem posto
Um não sei quê, que nasce não sei onde,
Vem não sei como e dói não sei porquê."

Foto: A cidade do estudante de Francisco Veiga

Hilda Hilst


Hilda Hilst
( Do Desejo - 1992)

Colada à tua boca a minha desordem.
O meu vasto querer.
O incompossível se fazendo ordem.
Colada à tua boca, mas
escomedida
Árdua
Construtor de ilusões examino-te
ôfrega
Como se fosses morrer colado à
minha boca.
Como se fosse nascer
E tu fosses o dia magnânimo
Eu te sorvo extremada à luz do
amanhecer.

Foto: De Luis Mendonça

15 de abr de 2010

O fraco, quando quer imitar o poderoso, perece.(Fedro)

Foto: Cai neve na SERRA de Carlos Afonso

Martha Medeiros

Martha Medeiros

Desmediocrize sua vida. Procure seus "desaparecidos", resgate seus afetos
Aprenda com quem tiver algo a ensinar, e ensine algo àqueles que estão engessados em suas teses de certo e errado. 
Troque experiências, troque risadas, troque carícias. Não é preciso chegar num momento limite para se dar conta disso. O enfrentamento das pequenas mortes que nos acontecem em vida já é o empurrão necessário. Morremos um pouco todos os dias, e todos os dias devemos procurar um final bonito antes de partir."



Do amoroso esquecimento

Mário Quintana
Eu, agora - que desfecho!
Já nem penso mais em ti...
Mas será que nunca deixo
De lembrar que te esqueci?

(Espelho Mágico)

Foto: Sem título de Babeffe

De tudo ficaram três coisas.

Fernando Sabino

De tudo ficaram três coisas...
A certeza de que estamos começando...
A certeza de que é preciso continuar...
A certeza de que podemos ser interrompidos
antes de terminar...
Façamos da interrupção um caminho novo...
Da queda, um passo de dança...
Do medo, uma escada...
Do sonho, uma ponte...
Da procura, um encontro!
Foto: A espera de Luiz Silva
Related Posts with Thumbnails