25 de out de 2008

Maquiável

(Nicolau Maquiavel)

"Não se pode chamar de "valor" assassinar seus cidadãos, trair seus amigos, faltar a palavra dada, ser desapiedado, não ter religião. Essas atitudes podem levar à conquista de um império, mas não à glória"


Foto: Man on fire! de Pedro Ferreira

24 de out de 2008

De Clarice


Clarice Linspector

"Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
depende de

QUANDO

e

COMO
você me vê passar."

Foto: Thais Fernanda 1 de Paulo Marques

PEDAÇOS DE MIM


Martha Medeiros

Eu sou feito de
Sonhos interrompidos
detalhes despercebidos
amores mal resolvidos

Sou feito de
Choros sem ter razão
pessoas no coração
atos por impulsão

Sinto falta de
Lugares que não conheci
experiências
que não vivi
momentos que já esqueci

Eu sou
Amor e carinho constante
distraída até o bastante
não paro por instante


Tive noites mal dormidas
perdi pessoas muito queridas
cumpri coisas não-prometidas

Muitas vezes eu
Desisti sem mesmo tentar
pensei em fugir, para não enfrentar
sorri para não chorar

Eu sinto pelas
Coisas que não mudei
amizades que não cultivei
aqueles que eu julguei
coisas que eu falei

Tenho saudade
De pessoas que fui conhecendo
lembranças que fui esquecendo
amigos que acabei perdendo
Mas continuo vivendo e aprendendo.


Foto: de Jorge Soares


19 de out de 2008

É muito claro

Manoel Ricardo de Lima
É muito claro
amor
bateu
para ficar
nesta varanda descoberta
a anoitecer sobre a cidade
em construção
sobre a pequena constrição
no teu peito
angústia de felicidade
luzes de automóveis
riscando o tempo
canteiros de obras
em repouso
recuo súbito da trama


Foto: Tempo para ter tempo. de Pedro Tavares

Ademir Antonio Baccado livro “Pandorgas ao Vento”



Ademir Antonio Baccado livro “Pandorgas ao Vento”

Invento a paixão
do meu jeito
irresponsável
e insensata
com todos os riscos
invento a minha paixão
com todas as loucuras
que passam pela cabeça
do mais tolo dos apaixonados
e me entrego a ela
de corpo e alma
só assim vale a pena
te amar!

Foto: Tu Gitana de João Castela Cravo

Tempo de solidão

Ademir Antonio Bacca

Tempo
que não passa
novelo
que não se desembaraça
vela
que queima devagar
que não desata
lembrança
que não se perde na fumaça.
noite
que se arrasta.

Foto: ...é Agora de Susana Ferreira

Clarice sempre!

Clarice Lispector

...Que minha solidão me sirva de companhia.
Que eu tenha a coragem de me enfrentar.
Que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo."
Foto: Fragmentos de Históriade Paulo Penicheiro

15 de out de 2008

Um instante

Ferreira Gullar


Aqui me tenho
Como não me conheço
nem me quis
sem começo
nem fim
aqui me tenho
sem mim
nada lembro
nem sei

à luz presente
sou apenas um bicho
transparente


Foto: respirar (Não sei a autoria)
Related Posts with Thumbnails